Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > IFMA lança aplicativo de busca por serviços em Bacabal
Início do conteúdo da página Notícias

IFMA lança aplicativo de busca por serviços em Bacabal

Empreendedores já podem registrar seus negócios no site instavenda.com.br. Acesso para clientes será liberado a partir de 1º de julho.
  • Com informações do IFMA Campus Bacabal
  • publicado 17/06/2020 13h43
  • última modificação 17/06/2020 13h46

Um grupo de alunos e pesquisadores do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) criou o primeiro aplicativo de busca por produtos e serviços em Bacabal-MA, o Instavenda. A ferramenta, que promete facilitar a vida de clientes e empreendedores locais, estará disponível primeiramente pelo site instavenda.com.br e na sequência deverá ser lançada para os sistemas Android e IOS. Empreendedores já podem fazer o cadastro, totalmente gratuito, no site. O acesso para clientes será liberado a partir do dia 1º de julho.

Acesse o Instavenda

A iniciativa foi criada para ajudar as empresas formais e empreendedores informais que estavam parados durante a pandemia do novo coronavírus (COVID-19) a manter seus negócios. Como o isolamento social foi necessário, muitas empresas ficaram paradas e tiveram perdas na renda. Assim, o aplicativo surge como um buscador de produtos e serviços inicialmente no município de Bacabal, permitindo que os pequenos empresários e informais possam comercializar.

O subcoordenador do projeto, o professor de Informática do Campus Bacabal, Marcelo Eugênio de Castro Gonçalves, explica que a plataforma não vai gerenciar as compras em si. A solução é integrada ao site ou redes sociais dos empreendedores informais e empresas registradas. O consumidor que está atrás de alguma empresa entra no aplicativo e a localiza. Os negócios serão realizados diretamente pelas próprias empresas, por meio dos contatos disponíveis no cadastro no site, como número do Whatsapp, e-mail, site ou redes sociais, como Facebook e Instagram.

“Por enquanto, a gente não vai fazer a gestão da compra, mas facilitar a encontrar um empreendedor de prestação de serviços e o empreendedor que vende produtos. Nós não vamos anunciar um produto em si. Você vai encontrar a empreendedora que vende a moda íntima, mas ela não vai colocar lá o produto. Você vai encontrar uma oficina mecânica, você vai encontrar a loja que vende peças de veículos, mas não vai conseguir ver que peças ele vende. Em vez disso, você vai encontrar lá o Whatsapp dele, o perfil do Instagram, o Facebook, e aí nós vamos tentar fazer esse engajamento do cliente para o fornecedor”, informa o professor.

Formal ou informal

Qualquer empresa de produto ou serviço de Bacabal pode participar do Instavenda. A ferramenta é liberada para cadastro de pessoas físicas ou jurídicas, formais ou informais que estejam ofertando um produto ou serviço. “Foi realizado um trabalho de campo, pensando principalmente no fornecedor informal, que tem dificuldade em gerenciar um relacionamento básico com o cliente. Muitos dos vendedores contatados nem e-mail tinham. Pensando-se nisso, colocamos um modo de interação com o cliente a conta dele no Whatsapp, para facilitar o cadastro desse informal, que até tem dificuldade para a transformação digital que, por incrível que pareça, ainda não chegou a esse público, principalmente no interior, onde a falta de acesso à tecnologia ainda é mais presente”, diz Marcelo Eugênio de Castro Gonçalves.

Já são cerca de 100 empreendedores registrados, em apenas quatro dias de cadastramento, já que o aplicativo foi lançado no dia 13 deste mês. Já foram registrados restaurantes, barbearias, lanchonetes, oficinas mecânicas, dindin gourmet, escritório de advocacia, salão de beleza, mercadinho, serviço de estética, padarias, pizzarias, pedreiro, marceneiro, serralheiro, loja de peças automotivas, loja de móveis, revendedora de cosméticos, vendedora de cama/mesa/banho, frigorífico, produção de biscuits, moda íntima, bolos caseiros, locação e venda de imóveis, manutenção de ar-condicionado, eletricista, diarista, produtos de maquiagem, joias.

O cadastro inicial do empreendedor só pede o número no Whatsapp, o nome e uma senha. “Não colocamos e-mail porque isso é um obstáculo para o informal. Nós focamos, viramos o jogo e pensamos na interação pelo Whatsapp, que é uma ferramenta mais popularizada. Dados como CNPJ, razão social, não são obrigatórios. Ele precisa apenas obrigatoriamente descrever o negócio dele, informar a que categoria ele está inserido, qual município e qual Estado ele pertence, por enquanto vale apenas para o Estado do Maranhão e em Bacabal. Mas o plano do projeto é ser estendido para todas as cidades em que está o IFMA. Iniciamos por Bacabal, como projeto piloto, por estar mais próximo da gente. Se o projeto der certo, poderemos liberar o acesso aos poucos”, informa o professor.

Para quem oferta produtos e serviços, a maior vantagem é a facilidade no cadastro e a gratuidade, pois não é exigido nenhum pagamento para que o empreendedor tenha a oportunidade de vender seus produtos e serviços de forma fácil e integrada de qualquer lugar. E para o consumidor, é a oportunidade de ter acesso a diversos produtos e serviços de forma simples e fácil na palma da mão. Além de contribuir para ambos na manutenção do isolamento social, colaborando para diminuir as aglomerações em tempos de pandemia.

Futura startup

O projeto pretende criar uma startup para que possa, futuramente, gerenciar a compra. “Pretendemos com o tempo formalizar a criação de uma startup, para concretizar esse serviço. Depois de ter a startup concretizada, poderemos ter um relacionamento mais concreto com o cliente, que é fazer essa ponte entre o cliente e o fornecedor, gerenciando a compra”, explica Marcelo Eugênio de Castro Gonçalves. A startup será desenvolvida por meio do Laboratório de Desenvolvimento de Software e Inteligência Artificial Aplicada (LDESIAA) e outros projetos existentes no IFMA Campus Bacabal.

Além do subcoordenador, participam do projeto o professor Francisco de Assis Pereira Filho, coordenador da iniciativa; Eder Johnson de Area Leão Pereira, professor de Economia do campus; o diretor-geral do Campus Bacabal, Maron Stanley Silva Oliveira Gomes; Ailson da Silva Lopes, coordenador do Curso Superior de Bacharelado em Administração; o professor Claudio Magno Pereira Farias; o chefe do Departamento de Extensão e Relações Institucionais do campus, Silimar Costa da Silva; o professor Ricardo Bezerra de Oliveira; e a professora EBTT de Português/Libras do IFMA Campus São João dos Patos, Leonildes Lima Colaço Teixeira de Arêa Leão. Também integram a equipe os alunos do Curso Técnico em Informática, Domingos Ribeiro Sousa Filho e João Pedro; a aluna do Curso Técnico em Administração, Isadora Maria Rodrigues; e a aluna do Curso Bacharelado em Administração, Anna Karolayne dos Santos; além dos colaboradores e pessoal de apoio, os professores Jeymeson, Francisco Neto, Antonio Gudemberg, Diogo Vinicius e Savino Coimbra, e o servidor Adalberto da Silva.

registrado em:
Fim do conteúdo da página